COMO LER A BÍBLIA
Euler Sandeville Jr.
São Paulo, 23 de abril de 2016.

A Bíblia não é um livro de histórias nem de estórias, nem de poesia nem de profecia, nem de ensinamentos morais, nem de consolação e de orientação, embora também seja tudo isso. Mas não é isso o que a define. É um livro, e uma coleção de livros, que nos aproxima de Deus e, pela Sua ação, nos liberta para vivermos em comunhão com Ele.

Há muitas razões pelas quais alguém pode ler a Bíblia. Mas se me perguntam porque leio a Bíblia, digo que, antes de mais nada, é para conhecer a Deus e Sua vontade, para andar no dia a dia segundo o que Ele ensinou.

Ao ler a Bíblia, a primeira coisa a fazer é colocarmo-nos diante de Deus em oração, sem frases feitas, sem disfarces e, principalmente, como somos. Porque mesmo que não o façamos, Deus nos vê como somos. Se você não crê em Deus ou sente um vazio em sua distância, e vai ler a Bíblia, comece confessando isso, reconhecendo isso. Se não crê em Jesus, em sua morte e ressurreição, mas sabe que Deus existe, reconheça isso ao ler. Deus irá conduzir quem Dele se aproxima com coração sincero. É isso, seja apenas sincero ou sincera diante de Deus.

Por outro lado, é necessário reconhecer quem é Deus, e não só saber quem somos. Felizmente, não partimos do nada. Podemos saber um pouco de Deus, de sua imensidão, contemplando e olhando atentamente sua criação, observando o cuidado que Ele teve com cada detalhe e com o conjunto, o poder com que a sustenta, a beleza com que a criou. E, observando também a própria complexidade e potencialidade com que fomos criados, nossos corpos e pensamentos, sonhos e afetos, com a liberdade e responsabilidade para escolhermos tanto o melhor quanto o pior. Por isso, você deve reconhecer não só quem você é, mas quem Ele é.

Aos poucos, o conhecimento Dele irá nos mostrando sua misericórdia e seu amor, sua justiça e sua eternidade, ou mesmo além dela, pois Ele é o criador de tudo. A palavra misericórdia geralmente é entendida como ter pena, ou agir com bondade. Certamente não é ter pena, e certamente significa agir com bondade. Vem de duas palavras latinas, miseratio que quer dizer compaixão, simpatia (a capacidade de se colocar no lugar do outro, de se identificar com o outro), e cordis (que quer dizer coração). Misericórdia é essa capacidade em seu íntimo de se identificar e se interessar pelo outro. Um coração terno, capaz de compreender e ajudar ao outro em sua miséria, em sua necessidade.

A misericórdia, o amor, a sabedoria de Deus podem ser vistas na própria natureza. A observação da natureza, o céu estrelado, a beleza dos pássaros e das flores, a diversidade das árvores, dos tempos e estações, das paisagens até os lugares recônditos nas rochas e mares, dos animais ferozes e da chuva, as tempestades mais intensas e a aurora, tudo isso nos revela um pouco de Deus. Mas é na Bíblia que o Espírito de Deus irá iluminar aquelas palavras em seu coração e seu espírito, vivificando seu entendimento.

Portanto, para a Bíblia fazer sentido, precisamos de Deus. Ao ler a Bíblia, não procure apenas respostas, ou coisas bonitas, ou coisas terríveis, ou outras difíceis. Seja simples, procure a Deus, e conhecer seu Cristo. Se você não crê ou não sente em seu íntimo não tem problema, deixe o livro falar o sentido que seu conjunto revela.

Ao ler a Bíblia, coloque-se diante de Deus, indague a Ele, em oração, sendo como você é, mas reconhecendo também diante de Quem você está. Deus irá orientar quem, de coração verdadeiro, se colocar diante Dele. Como Jó, que no início de sua busca pensava conhecer a Deus, mas quando entende Sua grandeza e ouve Sua voz, declara diante do Senhor:

Então Jó abre seu coração diante de Deus e declara:

Sei que podes realizar tudo quanto desejares; absolutamente nenhuma das tuas ideias e vontades serão frustradas!

Tu questionaste: ‘Quem é este que sem conhecimento obscurece o meu conselho?’ De fato falei do que não entendia, abordei assuntos sobremodo complexos sem a devida sabedoria.

Tu ordenaste: ‘Agora, pois, ouve-me, e Eu falarei; Eu te questionarei, e tu me responderás!’

De fato, meu ouvidos já tinham ouvido a teu respeito; contudo, agora os meus olhos te contemplaram! (Jó 42.1-5, KJA*)

 

 

 


* Nota: a tradução habitualmente utilizada neste sítio é a de João Ferreira de Almeida, Atualizada (JFA). Quando utilizar outra tradução neste sítio isso será indicado através da abreviatura: KJA (King James Atualizada), BJ (Bíblia de Jerusalém).